A contínua doação de documentos por familiares ao arquivo do museu reuniu documentos privados e oficiais de três gerações, tornando-o um arquivo singular, totalmente inventariado e aberto ao público. Além disso, o referido arquivo é composto por uma das mais completas coleções fotográficas do Brasil, já que possui exemplares de praticamente todos os processos de produção da fotografia, desde o século XIX até o XX.

Cobrindo um período de tempo contínuo desde 1837, data de nascimento de Benjamin Constant, até 1990, ano de falecimento de Pery Constant Bevilaqua, o arquivo do museu é uma importante fonte de pesquisa para várias áreas de conhecimento, tais como: História do Brasil, Antropologia, Pedagogia, Filosofia, Sociologia, Política etc. Temas mais específicos, como Proclamação da República, Políticas Educacionais no 2º Reinado, Governo Provisório, Positivismo, Revolução de 30, Militarismo no Brasil, Golpe de 64, Ensino Militar, dentre outros, também podem ser analisados detalhadamente.

O acervo documental conta com 27.000 documentos e 4.162 fotografias, distribuídos por 5 fundos, destes, neste primeiro momento, apenas o Fundo Benjamin Constant estará disponível na plataforma Tainacan.

  • Fundo Benjamin Constant O Fundo é composto por documentos produzidos por Benjamin Constant no exercício de sua vida pública e privada, parte doado em 1958 pelos familiares ao antigo SPHAN e em 1980 por ocasião da organização e montagem do museu, por seu neto General Pery Constant Bevilaqua.
  • Fundo Família – O Fundo Família Benjamin Constant (FBC) é constituído, em sua maioria, por correspondências tanto com familiares e outras pessoas. A documentação permite reconstituir a vida cotidiana de uma família no final do séc. XIX e início do séc. XX, além de vasta documentação referente à preservação da memória de Benjamin Constant e a Proclamação da República.
  • Fundo Pery Beviláqua – O Fundo PCB retrata de forma bastante completa a trajetória de seu titular. Todas as funções exercidas durante sua carreira militar e sua vida pública em geral estão documentadas. Além disso, há significativo volume de correspondência familiar e de anotações pessoais. Dentre os temas presentes no fundo PCB, podemos destacar a conjuntura político-militar dos anos 1950 e 60 e a atuação do titular no Superior Tribunal Militar. O Fundo PCB inclui também recortes de jornais, impressos e fotografias.
  • Fundo José Bevilaqua – O Fundo JB é constituída, em sua maior parte, por correspondência, tanto com familiares quanto com terceiros. A correspondência familiar permite reconstituir a vida cotidiana de sua família no final do século XIX e início do século XX. Destacam-se também as cartas que escreveu para os pais enquanto estudava na Escola Militar da Praia Vermelha, nos anos finais do Império e início da República Fundo Pery Constant Bevilaqua (neto);
  • Fundo Agliberto Xavier – A documentação é constituída por correspondências diversas e documentos ligados ao Clube Cívico e Republicano Benjamin Constant. Foi um dos maiores defensores póstumos de Benjamin Constant. A proximidade entre Agliberto Xavier e a família fez com que parte do seu arquivo pessoal se juntasse ao conjunto de documentos preservados pelos descendentes de Benjamin Constant.